A LIBERDADE DE DEUS

fzk51fpt.jpg

Deus não coloca argolas nas asas dos seus Anjos.

Isso é para que eles voem e cumpram as determinações Divinas.

Assim, se você ouvir um ruflar de asas próximo à sua janela, sorria e bendiga a Deus.

É o Anjo do Senhor planando nas asas do vento, ou passando ao seu lado com a Taça da Boa Nova para lhe oferecer.

 

Imagem colhida na Internet. Uso sem fins comerciais. Todos créditos da imagem, aos seus autores.

mmmmmmmmmmmmmmmmm

65 anos de Hiroshima

É bom lembrar dos absurdos que a humanidade é capaz.

E nada melhor que lembrar com a ajuda dos artistas:

Rosa de Hiroshima (Vinicius de Morais e Gerson Conrad)

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada

 

Acho que valente mesmo é fazer o que fizeram no Camboja, explicitando o

(Ler mais)

Quino e a sociedade atual

Boa crítica de meu cartunista favorito, Quino:

quino2.jpg

quino3.jpgquino4.jpgquino5.jpgquino6.jpg

 

quino.jpg

quino7.jpg

quino8.jpg

O herói e o normal no terremoto do Chile

Imagen0026.jpg

Foto: Caixa d´água que afundou cerca de 2 metros no vilarejo de Hospital, 50 km ao sul de Santiago

Essa é mais uma história sobre o terremoto da madrugada de 27 de fevereiro de 2010 no Chile. Seguramente não é a primeira nem a última. Não é a história de um grande herói, de um bombeiro fantástico, um policial destemido ou um governante inspirado. Tampouco é mais uma destas histórias celebradas pelos meios de comunicação: de quem salvou alguém ou foi salvo, de quem perdeu tudo ou todos, de quem levanta, do meio dos escombros, uma bandeira nacional. É a

(Ler mais)

Dia da Mulher

Re-publico uma mensagem da amiga Flávia como uma reflexão sobre o dia da mulher como um dia para avaliar o valor do feminino em cada um e na sociedade.

Amigos e amigas,
que nesta data cada um possa refletir sobre a sua relação com o feminino. Aquele que se expressa no corpo de uma mulher, na figura da sua mãe, das suas companheiras, das suas filhas, da mãe terra, do sagrado feminino, e com o feminino que está dentro de cada um de nós. Você o respeita? o revencia? ou ainda existe opressão, ódio, medo e violência (mesmo que sutil)? 

(Ler mais)

Poeminha vegetariano

I just eat meat
If it (the meat) has a heat like mine
And whispers sweet pornographic things in my ear.


Nic

A palavra mágica

Um conselho: evite dizer numa mesa que você é vegetariano. Seja um almoço, jantar ou até mesmo na mesa de um boteco, se divertindo entre amigos. Não vale a pena. Se quiser ter paz e uma refeição tranquila, não diga a palavra mágica: sou vegetariano. É arrumar encrenca.

 Mas você já deve ter passado pela situação de algum amigo falar em alto e bom tom por você, não? Você tá lá na sua, na boa, se divertindo, comendo seu bolinho de arroz, sem pronunciar a palavra mágica, quando o amigo declara publicamente aquilo que você não precisa espalhar numa mesa

(Ler mais)

A cara do peixe: sua desvantagem competitiva

Muitas pessoas optam pelo vegetarianismo por uma sensação de empatia com os animais. Essa empatia - ou identificação, se preferir - é parte, a meu ver, de um processo de conscientização do papel do ser humano em relação à natureza e deixar de comer carne é, antes que uma obrigação, uma opção.

Ao deixar de comer carne, deixamos de incorporar o sofrimento da morte do animal e, no caso da carne industrializada, o sofrimento da vida do animal também.

A naturalidade de se comer um animal como forma de preservação deixa de ter sentido na história há muito tempo, quando

(Ler mais)

Vagabundos Iluminados

Peguei emprestado o nome do livro de Jack Kerouac. Não poderia achar título melhor.

Precisava de um carroceiro que recolhesse os entulhos da escola. Saí pra tomar um café, esperando que passasse algum. Vi um de longe. Fui atrás. O cara andava rápido. Gritei, ele se virou. Ele topou e lá fomos nós em direção ao pratiqueyoga. Ao longo da caminhada o papo fluiu. Fluiu como às vezes não flui com um amigo. Ele se chama Biro Biro. É do signo de escorpião. Compõe músicas, cantou duas pra mim. É poeta. Tem 49 anos, dois filhos adultos. Mora com a

(Ler mais)

Você deixaria a carne?

Aproveitando o gancho do artigo do Ricardo, eis uma pesquisa publicada no New York Times que reproduzo aqui no Novas Sementes, que consulta se você deixaria de comer carne para "salvar o planeta":

Comentarios recientes

Cerrar